CASO PEDRO LUCAS

Rio Verde: mãe de menino desaparecido há 15 dias foi ouvida por psicóloga

Segundo a Polícia Civil, não houve avanços nos termos da investigação

Investigação: mãe de menino desaparecido há 15 dias foi ouvida por psicóloga
Pedro Lucas, de 8 anos, está desaparecido há mais de um mês (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A mãe de Pedro Lucas, de 8 anos, desaparecido há 15 dias, foi até a delegacia para ser ouvida por uma psicóloga, na terça-feira (14). Na última vez em que foi visto, o menino estava deixando o irmão na escola, em Rio Verde, no sudoeste de Goiás.

Adelson Candeo, delegado responsável pelo caso, disse que uma psicóloga ficou várias horas com a mãe da criança. “Ela demonstrou todos os seus sentimentos, falou das dificuldades que está passando e vivendo. Entretanto, não houve avanços nos termos da investigação.”

O delegado ainda informou que uma pessoa entrou em contato com a Polícia Civil e disse que o menino poderia estar enterrado às margens de uma estrada rural na saída de Rio Verde para Montividiu, mas nada foi encontrado no local. “Foram encontradas ossadas de animais mortos, o que pode ter confundido a pessoa. Mas, tudo bem, fizemos a busca lá e não foi localizado nada. Foram esgotadas as buscas nesse local e, realmente, o garoto Pedro Lucas não estava ali”, explicou Candeo.

Depoimentos

Após os cães farejadores identificarem o cheiro da criança em uma mata, a Polícia Civil disse que ouvirá uma menina que foi flagrada por uma câmera de segurança conversando com o menino em uma mercearia no dia do desaparecimento dele.

Segundo Candeo, o depoimento da menina será realizado junto com um psicólogo e deve ocorrer na quinta-feira (16). O pai biológico de Pedro Lucas e um senhor que disse que o viu também devem ser ouvidos.

Investigação

Pedro Lucas, de 8 anos, desapareceu no dia 1° de novembro após deixar o irmão mais novo na escola, em Rio Verde. Logo após, a criança não foi mais vista pelos familiares. A mãe do menino registrou um boletim de ocorrência três dias após o desaparecimento do filho.

De acordo com o delegado, a história é de que a criança tinha pedido para ir à casa da avó e não era verdade. Candeo relatou que a mulher mentiu em depoimento por medo de perder a guarda dos filhos.

“No dia que a família alega que ele desapareceu após deixar o irmão na aula, ele retorna sentido à residência que não é tão longe. Nas imagens captadas, ele está próximo à residência”, concluiu o delegado.