BATER A META

Funcionários tinham que dançar música da Gretchen se não batessem meta, em Goiânia

Advogada explica que os vendedores tinham que pagar uma prenda diferente todos os dias

Empresas de telefonia de Goiânia terão que indenizar vendedores obrigados a dançar e pagar prenda
Empresas de telefonia de Goiânia terão que indenizar vendedores obrigados a dançar e pagar prenda (Foto: Reprodução - Processo Judicial)

Três empresas de telefonia de Goiânia terão que pagar cerca de R$ 150 mil em danos morais para 22 vendedores. Segundo defesa, eles foram obrigados a dançar e pagar prenda por não baterem a meta de vendas estipuladas.

Um vendedor tirou foto de um aviso colado na porta da sala de reunião da loja. O comunicando dizia que a prenda do dia era imitar a cantora Gretchen.

“Prezados colaboradores, quem não realizar imput de venda hoje terá que pagar prenda na sala de reunião. Prenda do dia: imitar a Gretchen. O líder do vendedor deverá acompanhá-lo”, dizia o aviso que foi incluído como prova nos autos.

Segundo o processo, os vendedores eram obrigados a dançar a música “Conga La Conga”, da cantora Gretchen, “Boquinha da Garrafa”, do grupo de axé É o Tchan, entre outras, por não baterem metas de vendas.

O Mais Goiás tenta contato com as empresas envolvidas, mas ainda não obteve sucesso. Espaço segue aberto para manifestação.

Ações por danos morais

As ações dos 22 ex-vendedores foram movidas pelos advogados Danielle Zago e Alessandro Garibaldi no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

“Tinha prenda de dançar na boquinha da garrafa, pagar polichinelo. Da Gretchen era dançar a música ‘Conga la Conga'”, informou a advogada, Danielle Zago.

Segundo a advogada, os primeiros processos foram protocolados em 2020 e as primeiras decisões começaram a sair em outubro de 2021.

As envolvidas tentaram reverter a situação, mas acórdãos de desembargadores mantiveram as sentenças, em maio deste ano. Porém ainda cabe recurso.